Blog 2Share

Pousada all inclusive vale a pena?

toalhas em cima de uma cama de pousada all inclusive

Que tal viajar para uma pousada all inclusive? Esse é um termo que tem circulado bastante pela internet. Especialmente nas pesquisas de viagem. Porém, muitos têm dúvidas sobre o que significa o termo “all inclusive”.

Viajar com “tudo incluso” pode ser algo um pouco mais caro. No entanto, não se preocupar com nenhum tipo de alimentação, por exemplo, tem as suas vantagens. Por isso, programar uma viagem com esse benefício tem sido tão procurado.

Para saber o que é pousada all inclusive e quais os seus benefícios, continue a leitura desse texto. Vamos te explicar tudo! Boa leitura!

All inclusive x Pensão completa

Você encontra pensão completa em hotel com café da manhã, almoço e jantar: as três refeições básicas do dia estão inclusas na diária, mas as bebidas devem ser pagas à parte.

O all-inclusive, por sua vez, também é um hotel com tudo incluso e vai ainda mais longe: o hóspede pode consumir lanches, petiscos, bebidas alcoólicas e não alcoólicas, sobremesas e, em alguns casos, até atrações de lazer.

O que é o sistema all inclusive?

Mas, afinal de contas, o que é diária all-inclusive? Em tradução simples, o termo all-inclusive significa “tudo incluso”.

Ou seja, o hóspede que fica em hotéis com esse formato tem direito a refeições (café da manhã, almoço, jantar, ceia e lanches) e bebidas inclusas no preço da diária.

E não vá pensando que os garçons ficam atrás dos hóspedes o dia inteiro com bandejas na mão! 

Nesses hotéis, o mais comum é o formato self service, ou seja, você deve se deslocar aos buffets e bares para consumir. O sistema all-inclusive não é exclusivo de hotéis e pode ser encontrado em resorts e até navios de cruzeiro.

All inclusive para quem funciona?

Saber o que é all-inclusive é apenas o primeiro passo: o viajante também deve avaliar se esse regime de alimentação atende suas necessidades.

Esse sistema é bastante vantajoso para quem está viajando em família, sobretudo com crianças e adolescentes, pois evita surpresas na hora de pagar a conta do hotel. O viajante pode relaxar, sem se preocupar com gastos adicionais com refeições.

Quem gosta de bebidas alcoólicas também pode gostar do formato all-inclusive, já que beber pode ficar mais caro que comer em vários destinos.

Ou seja, você não precisa sacrificar o seu orçamento de viagem para desfrutar de drinques, cervejas, vinhos e outras bebidas.

Ficar em um resort ou hotel all-inclusive pode ser uma alternativa caso você esteja visitando um lugar mais afastado ou com infraestrutura precária. Dessa forma, você pode fazer tudo no hotel e não tem gastos com deslocamento.

O sistema ainda é recomendado para casais em lua de mel, que podem usufruir de diversas atividades de lazer e alimentação sem sair do hotel, com comodidade e conforto.

Quem tem paladar muito exigente ou restrições alimentares também é atendido pelos buffets, que servem uma grande variedade de pratos, como saladas, massas, frutas, frios, carnes variadas, risotos, sushi e até sobremesa!

O all-inclusive só não é recomendado para quem pretende sair do hotel ou resort o dia inteiro e passear bastante durante a sua viagem.

Nesse cenário, o custo-benefício pode não ser o mais atraente, já que longe do hotel você não pode desfrutar das benesses do sistema.

Como escolher um resort all inclusive?

As vantagens de um complexo turístico preparado exclusivamente para sua diversão e comodidade são inúmeras, começando pelo sistema all inclusive adotado pela maioria dos resorts nacionais.

O sistema all inclusive funciona muito bem com quem viaja com crianças ou adolescentes, já que esses turistas são sinônimos de gastos imprevisíveis, certo?

Além disso, a maioria das estruturas oferece praias privativas, fitness center, piscinas, serviço de babás, kids club, acesso ilimitado à internet e quadras poliesportivas também. 

Mesmo que várias infraestruturas sejam parecidas e estejam localizadas no litoral, alguns detalhes fazem toda a diferença na sua viagem, sendo assim, pensando na sua comodidade, separamos algumas dicas para te ajudar na hora de escolher um resort no Brasil para viajar com sua família. 

01) Idade dos viajantes

É muito importante considerar a idade dos viajantes antes de decidir o melhor resort para sua família, já que caso as atrações não sejam condizentes com a faixa etária dos seus parentes, as chances da sua viagem ser um fracasso são enormes.

Sendo assim, compare as atrações disponíveis e veja quais agradam seus familiares.

Lembre-se: de nada adianta escolher um resort recheado de atividades radicais se os seus filhos são pequenos ou não gostam tanto assim de dinâmicas outdoor, combinado?

02) Contato com a natureza

Pra você, o quão importante é estar em contato com a natureza enquanto viaja? 

Essa é uma pergunta considerável na hora de escolher um resort no Brasil, já que inúmeros complexos possuem mata preservada e opções de ecoturismo.

É interessante frisar que existem diversos tipos diferentes de resorts, como os específicos para praia, campo, ecológicos etc.

Sendo assim, se o contato com a mãe natureza for muito importante pra você, opte por um eco resort, por exemplo. Nesse quesito, o Brasil não deixa a desejar, já que encantos naturais é o que não falta por aqui.

Porém, se o seu objetivo for único e exclusivamente para se desligar da correria da rotina e descansar em meio a paisagens paradisíacas, saiba que qualquer opção 4 ou 5 estrelas no litoral nordeste do país já está de ótimo tamanho.

03) Época da viagem

Você já deve ter reparado que o Brasil é bem grande, certo? Graças a sua extensão e localização, existem vários climas diferentes pelo país. 

Nesse contexto, saber a época da sua viagem é um fator decisivo.

Já pensou viajar para o litoral durante as chuvas, e pior ainda, quando a maré está alta demais, impossibilitando a maioria dos passeios?

Para evitar essa dor de cabeça – que pode arruinar sua viagem em família, diga-se de passagem -, busque se planejar com antecedência e faça muitas pesquisas também, pois quanto mais preparado você estiver, melhor!

Vantagens e desvantagens do sistema

Conheça abaixo as vantagens e desvantagens do sistema all inclusive:

Vantagens

  1. O maior trunfo desse tipo de hospedagem, e que é comum a todos os all-inclusive, é poupá-lo de levar um susto na hora do check-out. O preço está fechado e o risco de você gastar a mais é pouco provável. Assim, a ordem é relaxar e apenas curtir tudo que o hotel tem a lhe proporcionar!
  2. Escolher um all-inclusive para passar férias cai como uma luva para os pais que viajam com crianças ou adolescentes, que são uma fonte inesgotável de gastos imprevistos.
  3. Para quem gosta de beber, então, esse sistema também vale muito a pena, pois, como se sabe, bebida é bem mais cara do que comida, e algumas horas de chopp ou caipirinha na beira da piscina, por exemplo, podem sair bem onerosas.
  4. All-inclusive também é uma boa pedida para casais e grupos com gostos alimentares incompatíveis. Os buffets dos restaurantes são montados basicamente para atender a todos os paladares, pois incluem saladas, frios, carne, peixe, frango, massas, risotos, frutas e sobremesas diversas.

Desvantagens

  1. All-inclusive não é necessariamente sinônimo de luxo. Na verdade, o sistema inclui tudo sim, sendo que no modelo self-service. Ou seja, não espere a mordomia de garçons indo atrás de você. Em um all-inclusive, o hóspede é quem vai em busca do que quer consumir, ou seja, é você quem vai aos buffets e aos bares para se servir ou fazer o seu pedido e ser servido.
  2. De fato, tudo é farto em termos de comida e bebida e claro que você poderá, sim, comer e beber o quanto quiser, praticamente à hora que quiser. No entanto, não exatamente o que desejar. Na prática, você estará limitado ao que está pronto e disponível. E a qualidade e a variedade dos pratos e das marcas de bebidas vão variar conforme a faixa de preço do hotel.
  3. Acreditamos que esse sistema só não vale a pena para quem pretende passar os dias fora do resort, fazendo passeios. Nesse caso, é melhor escolher um hotel apenas com o café da manhã incluso na diária. Aliás, se o all-inclusive pretendido estiver localizado em uma cidade ou região cheia de atrativos nas proximidades, decididamente ele não será mesmo uma boa escolha. Você já estará com as refeições e as bebidas pagas e pouco vai usufruir do que pagou, visto que vai passar o dia fora do hotel.
  4. Se você viaja sozinho, está a fim de agito e conhecer outros viajantes, certamente vai se decepcionar. Pelo menos no Brasil, a maior parte dos hóspedes dos all-inclusive são casais, idosos e famílias com crianças.

Dicas de viagens em all inclusive

Na hora de fechar a sua reserva, o quanto você paga é proporcional à qualidade do que você vai consumir.

Faça uma boa pesquisa e confira as faixas de preço dos hotéis e resorts all-inclusive da cidade que vai visitar. Quanto mais caro o hotel, maior a qualidade no menu.

O contrário também é verdadeiro: se você vai ficar em um resort all-inclusive barato, contenha suas expectativas, pois a qualidade e a variedade dos pratos e bebidas servidos são diretamente proporcionais ao preço da diária.

Além disso, é preciso redobrar a atenção para não cair em pegadinhas. Antes de usufruir de alguma comodidade, consulte se o serviço está incluso na diária ou se é cobrado à parte.

Apesar do termo inclusivo, nem sempre todas as despesas relativas à hospedagem são cobertas pelas diárias: se você recorrer ao serviço de babá ou desfrutar de tratamentos de spa, por exemplo, pode ser que a cobrança seja feita à parte.

E se você nunca mais pagasse por hospedagem?

Você sabia que, a longo prazo, você poderá economizar com hospedagem de hotel? Para isso, você compra (por um preço acessível) parte de um hotel ou resort de luxo, transformando em sua segunda casa ou, se preferir, na sua casa de férias.

Existe um termo chamado multipropriedade, que é o regime de condomínio em que cada um dos proprietários de um mesmo imóvel é titular de uma fração de tempo. Esse tempo corresponde ao seu direito de usufruir do local, com total exclusividade e sem intervenção dos outros proprietários.

Aqui na 2Share comercializamos o Residence Club at the Hard Rock Hotel Fortaleza e Ilha do Sol. E se você gosta de um clima mais frio, temos o Golden Tulip Canela.

Entre nas páginas dos nossos empreendimentos e descubra qual o ideal para as suas próximas férias em família!

Conclusão

Ao planejar uma viagem e reservar acomodações, muitas vezes o viajante pode ser confrontado com duas palavrinhas em inglês que fazem toda a diferença: all-inclusive, o que significa um formato “inclusivo” de alimentação.

Na prática, isso quer dizer que o viajante não precisa sair do hotel para fazer nenhuma refeição, a não ser por opção: toda a alimentação é oferecida pelo estabelecimento de hospedagem, incluindo bebidas.

Esse conceito acaba gerando uma impressão equivocada de muitas pessoas a respeito do sistema all-inclusive, o que é compreensível, já que gastos com alimentação representam uma grande fatia dos custos de uma viagem.

Por essas e outras, é comum encontrar concepções erradas, como “all-inclusive é mais caro” ou “all-inclusive é coisa de rico”, o que não é verdade.

Ao colocar as contas na ponta do lápis, o custo-benefício desse formato de hotéis pode ser bastante vantajoso, além de evitar surpresas desagradáveis na hora do check-out.

No fim das contas, o all-inclusive pode representar uma comodidade a mais para quem quer descansar e não deseja sair do hotel para jantar, por exemplo.

Os resorts ao redor do mundo oferecem atividades das mais diversas para entreter o turista, mas também oferecem toda a estrutura para que eles possam estar na maior comodidade possível.

Antes de fechar o Resort ou Hotel pergunte ao seu agente de viagens quais são os restaurantes à la carte, se o Hotel ou Resort tem um nutricionista e maitre que possam atender quaisquer necessidades suas ou de sua família e eles realmente fazem e atendem, quais os vinhos e cervejas são servidos na piscina e outras dúvidas que possam surgir. 

Digo isso para que as expectativas não sejam maiores que a realidade, e que você não tome um susto acreditando que todos os Resorts são de excelência, apesar da grande maioria atender sempre muito bem.

Uma das questões mais levantadas é se o serviço inclui os restaurantes à la carte. Alguns resorts realmente oferecem o serviço de All Inclusive deixando na diária o valor dos restaurantes à la carte, já outros oferecem restaurantes e serviços pagos de forma extra assim como a grande maioria dos spas. 

Sendo assim a dica de pedir informações maiores sobre o Hotel é de extrema importância e não deixe o bicho papão assustar você, o chame para um jantar, no terraço e com a vista para o mar caribenho.

2Share Multipropriedades

A 2Share é uma máquina de vendas digital, que tem como objetivo levar o seu negócio a outro nível.

Uma empresa que atua com Planejamento Estratégico, Gestão de Tráfego, Captação e Qualificação de Leads, Assessoria de Marketing e muito mais para que as marcas parceiras tenham melhores desempenhos nas vendas.

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Deixar um comentário